Baterias VRLA x VENTILADAS

As baterias chumbo-ácidas estacionárias estão divididas em dois grupos / tecnologias que diferem por suas características construtivas e operacionais, porém se complementam para um amplo atendimento das mais diversas aplicações.

Até meados dos anos 80, a única tecnologia disponível era a das baterias ventiladas produzidas em grande escala pelos fabricantes nacionais na ocasião. Essas baterias apresentavam vida projetadas acima de 15 anos e com um bom protocolo de manutenção atingiam facilmente essa marca. Contudo, a tecnologia tinha um elevado custo de viabilização, assim como de manutenção, pois exigiam salas exclusivas para sua operação e procedimentos de manutenção periódicos que envolviam, desde o complemento de nível de solução por água destilada a ensaios periódicos de capacidade.

Com o avanço da tecnologia das baterias chumbo-ácidas, começaram a chegar no Brasil e também a serem produzidas em solo nacional, as primeiras baterias estacionárias reguladas por válvulas, as quais prometiam ser a revolução do mercado. 

Realmente, essas baterias tiveram um papel muito importante no mercado consumidor de energia alternativa, porém, no início, foram muitos desafios e muitos problemas, até que se tivesse melhor conhecimento do conceito e do princípio de funcionamento das baterias “VRLA” – Valve Regulated Lead Acid”, pois como tudo era muito novo, os usuários tiveram que amargar uma série de prejuízos em função dos problemas ocorridos devido à total falta de domínio sobre a tecnologia. 

Na ocasião, as empresas de telecom tinham em suas plantas um padrão de site para acomodação exclusiva das baterias ventiladas, incluindo equipamentos específicos para sua operação, então substituir simplesmente uma tecnologia pela outra não foi uma boa ideia. Levou algum tempo até se entender que a substituição simples não era eficaz e que muitas baterias entraram em “avalanche térmica” e que houve muitas perdas financeiras até o domínio total de tecnologia.

Atualmente, a tecnologia VRLA é o que temos de maior evolução em termos de baterias chumbo-ácidas no mercado mundial. 

As baterias chumbo-ácidas ainda são as mais viáveis técnica e economicamente no mundo e já estão consolidadas e atendendo de forma exemplar as mais diversas aplicações.

Observação:

THERMAL RUNAWAY OU AVALANCHE TÉRMICA

É o aumento progressivo da temperatura no interior do elemento (célula) e ocorre quando o mesmo não consegue dissipar o calor gerado no seu interior pela corrente de flutuação, sobrecarga e pelas reações envolvidas no ciclo do oxigênio. 

Abaixo, apresentamos um quadro comparativo entre baterias chumbo-ácidas estacionárias ventiladas e reguladas por válvulas.