Conceitos Básicos

O acumulador elétrico é um dispositivo capaz de transformar energia química em energia elétrica e vice versa, em reações quase completamente reversíveis. É destinado a armazenar sob forma de energia química a energia elétrica que lhe tenha sido fornecida por uma fonte de corrente contínua, restituindo a mesma em condições determinadas na saída dos terminais. 

Os acumuladores elétricos estacionários são, por definição simples e lógica, aqueles que operam de forma imóvel, ou seja, parados e/ou estacionados, projetados para atender aplicações diversas, onde permanecerão conectados a uma fonte de energia de corrente contínua, por toda a sua vida útil. 

Tipos e Tecnologias de Baterias Estacionárias

Os principais grupos de baterias estacionárias estão subdividos em ácidas e alcalinas e nas tecnologias ventilada e VRLA.

  • Acumulador Chumbo Ácido Ventilado: é o acumulador no qual os materiais ativos são o chumbo e seus compostos e o eletrólito é uma solução aquosa “livre” de ácido sulfúrico.
  • Acumulador Alcalino: é o acumulador no qual os materiais ativos são o níquel cádmio e seus compostos e o eletrólito é uma solução “LIVRE” de Hidróxido de Potássio (KOH).
  • Acumulador Chumbo – Ácido Regulado por Válvula: é o acumulador fechado, que tem como princípio de funcionamento o ciclo do oxigênio, apresenta eletrólito imobilizado e dispõe de uma válvula reguladora para escape de gases, quando a pressão interna do acumulador exceder um valor  pré-determinado.
  • Acumulador Chumbo–Ácido Regulado por Válvula com Eletrólito Absorvido: é o acumulador, que apresenta o eletrólito, constituído por uma solução aquosa de ácido sulfúrico, absorvido no separador.
  • Acumulador Chumbo–Ácido Regulado por Válvula com Eletrólito na forma de Gel: é o acumulador o qual apresenta o eletrólito imobilizado na forma de um gel, constituído por uma solução aquosa de ácido sulfúrico e uma matriz gelificante.
  • Acumulador de Íons de Lítio: é o acumulador o qual normalmente utiliza na placa negativa o carbono na forma de grafite e na placa positiva utiliza óxido metálico de lítio. O eletrólito é o sal de lítio (LiPF6) misturado em solventes orgânicos. O coração das baterias de Lítio é o BMS, o qual faz a associação da química com a eletrônica e quem comanda o show na tecnologia.

Classificação de Baterias Estacionárias

  • Por Vida Útil Projetada: Baterias VRLA
  • Por Regime de Descarga: Baterias VRLA

Em função do regime de descarga, os acumuladores chumbo-ácidos estacionários regulados por válvula também podem ser classificados como:

  1. Média Intensidade de Descarga: corresponde a tempos de descarga maiores que 1 h até 20 h, aplicados a sistemas de energia em corrente contínua, como Telecom, Sistemas auxiliares de Subestações, etc;
  2. Alta Intensidade de Descarga: corresponde a tempos de descarga iguais ou menores do que 1 h, aplicados a sistemas “UPS”. 
  3. Longa Intensidade de Descarga: corresponde a tempos de descarga maiores que 20 h, aplicados a sistemas “fotovoltaicos” e de longa durabilidade de descargas.
  • Por Vida Útil Projetada: BATERIAS VENTILADAS

São os tipos de acumuladores que devem apresentar vida útil projetada, conforme indicado a seguir:

a) Acumuladores de alta e média intensidade de descarga: devem ter vida útil projetada maior que 12 anos, em regime de flutuação, com temperaturas de operação de 25°C e tensão de flutuação conforme recomendação do fabricante, aplicados a sistemas de energia em corrente contínua, como telecom, sistemas auxiliares de subestações, etc.

b) Acumuladores de baixa intensidade de descarga: devem ter vida útil projetada maior que sete anos, com temperatura de operação a 25°C e tensão de flutuação conforme recomendação do fabricante

  • Por Regime de Descarga: Baterias Ventiladas

Em função do regime de descarga, os acumuladores chumbo-ácidos estacionários ventilados são classificados como:

  1. Baixa intensidade de descarga (B): corresponde a tempos de descarga maiores que 20h a 120h, até a tensão final de 1,85Vpe, à temperatura de referência de 25 °C, aplicados a sistemas fotovoltaicos;
  1. Média intensidade de descarga (M): corresponde a tempos de descarga maiores que 1h a 20h, até a tensão final de 1,75Vpe, à temperatura de referência de 25 °C, aplicados a sistemas de energia em corrente contínua;
  1. Alta intensidade de descarga (A): corresponde a tempos de descarga iguais ou menores do que 1 h, até a tensão final de 1,60Vpe, à temperatura de referência de 25 °C, aplicados a sistemas nobreak.